terça-feira, março 13, 2007

Paulo, o Anticristo - Parte I

Anticristo (s. m.): um oponente de Cristo
um adversário de Cristo que governará o mundo até ao Retorno de Cristo
o último perseguidor da doutrina de Cristo que aparecerá no fim do mundo para combater o cristianismo e trazer à humanidade os maiores sofrimentos.

Acho que o título deste post assusta/escandaliza/indigna muita gente. Pensem que "anticristo" significa apenas "contra Cristo". Se Cristo é Jesus e Jesus é a sua Mensagem, então o anticristo é alguém que prega uma doutrina oposta à verdadeira doutrina de Jesus. Vejamos então se Paulo cabe neste definição.

O ponto alto (ou um dos) do ministério de Jesus é o Sermão da Montanha. Jesus reuniu um número extraordinário de pessoas num monte e ensinou-lhes as Bem-Aventuranças (Mateus 5, 1-12), de onde retiramos os pilares para uma vida Perfeita: justiça, paz, humildade, misericórdia, pureza de coração. Jesus não fala sobre fé, nem sobre si próprio durante este sermão, mas sim sobre conduta "justa".

De facto, a preocupação de Jesus com a conduta justa é o centro de todas as suas lições. Ele disse, "Os justos terão vida eterna." (Mateus 25, 46) Quando ensinava, falava às pessoas sobre o Reino de Deus (que está "dentro de ti" [Lucas 17, 21]), e sobre como atingi-lo e ser perfeito ("Sede perfeitos como é perfeito o vosso Pai celeste" [Mateus 5, 48]).

A vida justa e a perfeição manifestam-se, segundo Jesus, pelos "frutos". Árvores boas dão bons frutos, árvores más dão maus frutos. Tal como Jesus disse, "Pelos seus frutos os conhecerás."(Mateus 7, 16-17) Quer isto dizer que podemos conhecer o interior de uma pessoa pela suas acções (frutos), e separar os bons dos maus consoante as suas acções são boas ou más. Jesus disse aos discípulos que é isto mesmo que acontecerá no Julgamento (João 5, 29).

Jesus queria dos seus discípulos bons frutos. Ele próprio o disse na sua despedida, durante a Última Ceia: "Por isto é que todos conhecerão que sois meus discípulos: se vos amar-des uns aos outros." (João 13, 35) Disse também: "Vós sois meus amigos se fizerdes o que eu vos mando." (João 15, 14-15)

Os bons frutos são não só a marca do discípulo mas também o requisito para a entrada no Reino de Deus: "Nem todos os que me dizem "Senhor, Senhor" entrarão no Reino do Céu; mas sim aqueles que cumprem a vontade do meu Pai que está no Céu." (Mateus 7, 21) O objectivo da missão de Jesus era ensinar os mandamentos. E ele próprio disse: "Todo aquele que escuta estas minhas palavras e as põe em prática é como o homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha." (Mateus 7, 24-27)

Todas estas coisas são evidentes na doutrina de Jesus. Basta ler o Evangelho - elas estão lá, em todas as coisas que Jesus disse e fez. No entanto, a versão de Paulo é drasticamente diferente. Segundo este, a Salvação, a entrada no Reino de Deus, consegue-se através da Fé, e não dos "frutos". Ouvir e pôr em prática os ensinamentos de Jesus não é um requisito obrigatório para "acertar contas com Deus", porque, de acordo com o "evangelho" de Paulo, apenas a verdadeira Fé pode salvar um homem. Isto o diz Paulo em diversas ocasiões:

  • "Pois estamos convencidos que é pela fé que o homem é justificado, independentemente das obras da lei." (Romanos 3, 28)
  • "Porque é pela graça que estais salvos, por meio da fé. E isto [...] não vem das obras. (Efésios 2, 8-9)
  • "Ele salvou-nos, não em virtude das obras de justiça que tivéssemos praticado, mas da sua misericórdia [...] a fim de que pela graça, nos tornemos herdeiros da vida eterna." (Tito 3, 5-7)
Paulo torna a reforçar esta ideia em Romanos 4, 6 e 2 Timóteo 1, 9. Porque era ele tão insistente neste assunto? Se toda a vida de Jesus foi ensinada a ensinar e a incentivar a cumprir os ensinamentos, será que não terão alguma importância? De acordo com Paulo, não, não têm. Aliás, Paulo nunca os cita - é essa a importância que lhes dá. Exaltando a Fé sem Obras, Paulo vira Jesus do avesso, obscurecendo o âmago da sua Mensagem - "sede perfeitos" - e substituindo-os com um novo lema: sede beatos. As duas doutrinas são radicalmente opostas. Cristo e Anticristo.

Evidentemente, os verdadeiros Apóstolos faziam o seu melhor e falavam publicamente contra Paulo. Foi o que fez Tiago, irmão, amigo e Apóstolo de Jesus, na sua epístola, respondendo directamente aos devaneios hereges de Paulo.

Queres tu saber, ó homem insensato, como é que a fé sem obras é estéril? Vedes, pois, como o homem fica justificado pelas obras e não somente pela fé. Assim como o corpo sem alma está morto, assim também a fé sem obras está morta.
(Tiago 2, 20-26)

Apesar de Tiago nunca usar o nome de Paulo na sua carta, é evidente que esta é uma resposta à carta aos Romanos. Se tiverem por aí uma Bíblia comparem as passagens Romanos 3, 28 e Tiago 2, 24. Não só é a estrutura frásica idêntica como as palavras (no grego, apesar de diferirem em algumas traduções modernas) usadas por ambos são exactamente as mesmas. Tiago usa até o mesmo exemplo que Paulo, citando o mesmo versículo sobre a salvação de Abraão, mas dando uma explicação exactamente oposta à de Paulo.

É que, se Abraão foi justificado por causa das obras, tem motivo para se poder gloriar, mas não diante de Deus. [...] Àquele, porém, que não realiza qualquer obra, mas acredita naquele que justifica o ímpio, a esse a sua fé é-lhe atribuída como justiça.
(Romanos 4, 1-5)

Não foi porventura pelas obras que Abraão, nosso pai, foi justificado?
(Tiago 2, 21-23)


É mais um caso em que temos de escolher confiar em Paulo ou num dos Apóstolos. Fé, como disse Paulo, ou Obras, como defendia Tiago (e Jesus)?

Nem todos os que me dizem "Senhor, Senhor" entrarão no Reino do Céu.
Jesus
(Mateus 7, 21)

2 comentários:

mizki-do disse...

'Uma coisa sei, é que, havendo eu sido cego, agora vejo.' João 9:24,25.

:)

erison pinheiro disse...

Caro irmão, com todo respeito seus argumentos são satãnicos e partem de uma mente totalmente destituída da comunhão com o espírito Santo, de um pensamento carnal e interpretações sórdidas....
Qualquer Teologo(de um terço de tijela),sabe e entende que o apostoloo paulo foi escolhido por Deus para levar a luz da sua palavra aos gentios.Apesar da grande sabedoria humana, sempre se submetia á vontade do espírito Santo que estava nele...........
o que voce ensina é equivalente á uma blasfêmia....cuidado meu amigo, lembre-se que "Terrível coisa é cair nas mãos do Deus VIVO.