sexta-feira, abril 06, 2007

A Paixão de Cristo, de Mel Gibson, & Eu

No outro dia fiz um quiz chamado Are You a 'Passion' Christian? Tive 17 numa escala de 0 a 100: You probably didn't like "The Passion of the Christ" and may even have found it offensive. For you the heart of Christianity is not so much in Jesus' sufferings but in his living example and ethical teachings.

Claro que a segunda frase está certa. Mas a primeira até é um bocado irónica, tendo em conta que foi A Paixão de Cristo que me "apresentou" Jesus. Se eu nunca tivesse visto A Paixão, provavelmente este blog não existia, e muitas das coisas que fiz ou disse tinha feito ou dito de outra forma. A Paixão é mais do que um marco, é um verdadeiro turning point.

Wake up.

Nem sei bem explicar porquê. De acordo com todos os meus critérios, o filme nem é uma coisa assim tão boa. Para começar tem demasiada violência, que eu normalmente evito seja em que tipo de filme for. E depois, não há propriamente uma "história" a ser contada, aspecto que valorizo acima de todos os outros no cinema. Apesar disto, A Paixão é #1.

Vi o filme duas vezes no cinema (e outras tantas fora do cinema). A primeira vez foi uma das experiências mais... estranhas, que já tive. Fui com umas amigas, e saímos todas do filme em silêncio. Não é comum um grupo sair do cinema e ficar 10 minutos à porta sem falar, à espera das boleias. Acho que nenhuma de nós estava à espera do que viu. Não é pela violência, apesar de a violência contribuir, mas sim pela injustiça, pela crueldade. Jesus era um homem pacífico, não merecia o que lhe fizeram.

Jim Caviezel também tem muito a ver com o efeito do filme. A representação dele é tão perfeita, que no ecrã quem eu vejo é Jesus, não o Jim. Se já viram o filme, lembrem-se de quando ele está na cruz e olha para a câmara, através da câmara. Se o efeito pretendido era um olhar-até-à-alma, foi conseguido.

Wake up.

Da segunda vez que vi o filme chorei o tempo todo. Dizem que chorar faz bem, e eu às vezes até acho que é verdade. Fui ler os Evangelhos com mais atenção. Já tinha lido um, Mateus, mas não dei muita atenção. Com a segunda leitura, tudo fazia muito mais sentido. Então este era o homem que eu tinha visto morrer no cinema. Achei maravilhosas as coisas que ele dizia e fazia.

WAKE UP

Às vezes temos momentos na vida que mais tarde dizemos terem sido a nossa "wake-up call". Eu tive uma wake-up call em duas partes. Uma mensagem em duas partes. Primeiro, um Jesus ensaguentado, coroado com espinhos, dizendo "Vês, Mãe, eu renovo todas as coisas". Depois, um Jesus sorridente falando sobre a Regra de Ouro.

Não acho que Jesus se resuma à sua Paixão. Partir deste princípio é negar tudo o que ele disse e fez durante a sua vida. E há muitas pessoas, talvez Mel Gibson incluído, que o fazem. E se A Paixão de Cristo resume em si o coração da Cristandade, não me parece uma coisa muito interessante. Mas se teve este efeito em mim, se calhar até o teve noutras pessoas, por esse mundo fora. Só por isso, SHALOM! a todos aqueles que trabalharam para o fazer.

2 comentários:

mizki-do disse...

a-m-e-i!

Cate disse...

eu chorei na primeira vez que vi o filme e ainda nao tive coragem para ver outra vez, é simplesmente demasiado forte. mas adorei e fez-me realmente pensar!
e ainda bem q te fez criar este blog, gosto de saber q nao sou a unica a preocupar-me c estas questões.
um beijinho ;)